É com grande preocupação e desapontamento que recebemos a notícia sobre a decisão da Unisinos de encerrar as atividades de diversos programas de pós-graduação strictu sensu da área de Humanidades e, especialmente, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais.

Conhecedores da valorosa história desta universidade e de seus compromissos sociais e políticos, lembramos que se trata de instituição com papel fundamental para a própria consolidação da pesquisa, extensão e formação básica no nível de graduação de inúmeras gerações de cientistas sociais no estado do Rio Grande do Sul.

A criação do PPG em Ciências Sociais em 1999, é reconhecida pela Área de Avaliação de Sociologia como a tradução dos esforços empreendidos pela instituição nas décadas anteriores. Destacamos, especialmente, como peculiaridade do PPG, a formação acadêmica de cientistas sociais com o compromisso para transformação das vidas de grupos comunidades vulneráveis, na região e no país. Este compromisso se traduziu, durante o último ciclo avaliativo, em relatórios exemplares sobre o destino qualificado de discentes atuando em diversos setores da administração pública e do terceiro setor, denotando significativo impacto social, cultura e econômico.

É imperativo ressaltar também que o ambiente do programa proporcionou às suas pesquisadoras e pesquisadores condições ímpares para qualificação e desenvolvimento profissional, atestado pelo número significativo de Bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPq que ali constroem suas carreiras nas diversas áreas das Ciências Sociais. Esta qualidade dos quadros acadêmicos, divulgada pelos principais meios de comunicação, se traduz na construção da imagem pública da Unisinos como uma universidade que ainda combina compromissos sociais e com a mais elevada qualidade acadêmica.

Sabemos que se trata de um momento econômico desafiador para o ensino superior em instituições confessionais. No entanto, em um contexto político extremamente grave para a vida acadêmica e científica de nosso país, rogamos à Unisinos que reconsidere esta decisão e mantenha vivo seu compromisso de oferecer uma formação de pós-graduação para as futuras gerações.

Na esperança de tempos melhores para a educação superior no Brasil.

Marcelo Carvalho Rosa
Coordenador da Área de Sociologia/CAPES

Antonio Carlos de Souza Lima
Coordenador da Área de Antropologia/CAPES

Luis Manoel Fernandes
Coordenador da Área de Ciência Política e Relações Internacionais/CAPES

Brasília, 22 de julho de 2022.